2015: expectativas

               Confesso que não estava à espera de Muse para primeiro cabeça de cartaz do NOS Alive. Tendo sido alt-J o primeiro nome confirmado para o primeiro dia do festival que decorre Passeio Marítimo de Algés, a 9, 10 e 11 de julho do próximo ano, não contava com Muse para encabeçar o primeiro dia de um dos maiores festivais do país. E por isso é que estou aqui, para falar um pouco sobre as minhas esperanças, sobre aqueles que acho possíveis serem os grandes nomes dos festivais de verão portugueses em 2015.

             
                Gritei, berrei, esperneei, dancei, fiz tudo aquilo que é possível fazer quando estamos num estado de euforia, quando os alt-J foram confirmados em Portugal em 2015. É natural ter acontecido isso, pois são a minha banda favorita. Comecei logo a imaginar os cabeças de cartaz perfeitos para eles: Radiohead, mas é muitíssimo pouco provável que eles voltem ao nosso país nos próximo tempos, o que me deixa bastante triste. Em vez disso veio Muse. A banda espera ter o sucessor de “The2nd Law” pronto até ao próximo verão e por isso esperam-se, caso o álbum não tenha saído até dia 9 de julho, novos temas no Alive. Conhecida pelos seus concertos exuberantes, não podemos esperar coisa pouca.
               Passando à “prospeção”, tudo indica que os The Strokes estarão presentes no Primavera Sound de Barcelona. Apesar do cartaz do seu homónimo no Porto não ser 100% igual, é possível ter esperanças de voltar a ver a banda de Julian Casablancas no nosso país (acrescenta-se à possível confirmação em Barcelona o facto da banda dizer que está a trabalhar em novas músicas, ou seja, quem sabe ainda sai um novo álbum em 2015).
               É bem provável que tornemos a ver os Crystal Fighters no nosso país para o ano que vem. Após o concerto a 16 de outubro na Latada de Coimbra, a banda londrina, que confirma estar a trabalhar no seu terceiro álbum tendo já algumas músicas completas, publicou no seu Facebook que nos iria ver em breve porque a Latada tinha sido fantástica. Seria fantástico tê-los cá outra vez e o letra-r estaria de novo lá, com toda a certeza.
              Outros nomes que suponho que cá venham para o ano, quer seja por terem lançado álbuns este ano (ou por lançarem álbuns no próximo), quer seja por já não porem cá os pés há muito tempo são Beck (que lançou “Morning Phase” este ano e poderá muito bem encabeçar algum festival português), Damon Albarn (a voz de Blur, Gorillaz e de The Good, The Bad & The Queen lançou em abril o seu primeiro álbum a solo “Everyday Robots”), Jack White (que lançou este ano o seu segundo álbum a solo, “Lazaretto”) e, como é óbvio, Foo Fighters, que lançaram neste final de ano o seu oitavo álbum “Sonic Highways” juntamente com uma série documental sobre o processo de criação do álbum e a história da música nos EUA. Esperava ver Red Hot Chili Peppers, que já não tocam cá desde 2006, pois também falam de lançar um novo álbum num futuro próximo. 
               Por fim, outra banda que eu vejo como quase certa no próximo ano é Royal Blood. O impressionante duo britânico lançou no final de agosto aquele que é, para mim, um dos melhores e mais surpreendentes álbuns de 2014. Sendo donos de um rock um tanto quanto revigorante, os amigos de Brighton seriam perfeitos a abrirem para, por exemplo, Jack White ou Foo Fighters.
          E é assim meus amigos, estas são as minhas previsões/esperanças para alguns concertos em Portugal no próximo. Se quiserem podem deixar as vossas sugestões nos comentários.





(Texto escrito a 12/11/2014, mas por motivos de força maior só publicado agora)



UPDATE

                O MEO Marés Vivas confirmou Lenny Kravitz. O Super Bock Super Rock fez duas grandes confirmações: Florence and the Machine e a mudança do festival do Meco para o Parque das Nações. Mac DeMarco, na sua recente passagem surpresa por Lisboa, confirmou-se no NOS Primavera Sound. Por fim o NOS Alive confirmou Metronomy, Kodaline, The Ting Tings e Future Islands. Os Royal Blood, que adiaram o concerto marcado para dia 22 de novembro, no Armazém F, em Lisboa, marcaram a nova data para 2 de abril, mas desta vez no Coliseu de Lisboa. Os Crystal Fighters decidiram perguntar aos fãs onde é que deveriam tocar em Portugal no próximo ano, o que me deixou muito feliz.

Sem comentários:

Enviar um comentário