B Fachada volta ao Passos Manuel

                Foi no passado 26 de fevereiro que B Fachada voltou ao Passos Manuel, de modo a picar o ponto em mais uma data da sua atual tour nacional (se quiserem as restantes datas cliquem aqui). Com auditório cheio, o tio mais querido da música portuguesa tocou, cantou, dançou, fez dançar e bater o pé com mais de uma dúzia de canções que percorreram mais de meia dúzia de álbuns da sua vasta discografia.

              Quando se apresenta ao vivo, B Fachada age como se de um profissional de saúde se tratasse: vai sentindo o pulso à plateia e age consoante o que este lhe diz. Começa com a viola braguesa, salta para o teclado e para os samples, dança fazendo lembrar um maluco a sofrer um ataque epilético, faz a festa em cima do palco e o público aplaude porque isto é Fachada. Invoca o Zeca, pois ele ajudou-o, de certa forma, no seu último registo discográfico, “B Fachada” (2014), toca o mano e a mana, o pífaro, a bófia, sabe o que faz.
                Obviamente pergunta ao público se alguém quer fumar com ele, é assobiado como se de um sex symbol se tratasse quando tira a camisola, clama por um copinho de água quando a garganta seca, é “gozado” até ao fim do espetáculo pelo público. Pedindo desculpa logo no início do concerto por se encontrar doente, a maleita só se nota nas assoadelas, porque em palco é preciso tocar, cantar, dançar, fazer dançar e bater o pé. Quando é chamado pelo público para o famoso encore cria um coro em “Só Te Falta Seres Mulher”, faz o público cantar “Tempo Para Cantar”, toca “Joana Transmontana” (temos um vídeo disto) e acaba com “Questões de moral”, sempre perguntando “ – O que é que eu posso tocar para vocês agora?”.
               Se passou rápido? Sim, muito rápido. As coisas que nos sabem bem parecem durar tão pouco tempo, mesmo que mais de uma hora se passe. Mas foi um concerto que não soube a pouco pois, mesmo que não toque vinte canções, Fachada dá de si e só por isso vale a pena.

                Entretanto fiquem atentos porque outra coisa boa, também relacionada com o tio B, está para chegar (mais cedo ou mais tarde, também temos vidas atarefadas). Basta seguirem a nossa página do Facebook ou o nosso Twitter (só precisam de clicar nas palavras respetivas), pois vamos mantendo as pessoas atualizadas por lá.


Texto: Rui Oliveira
Fotografia: Raquel Nunes





Created with flickr slideshow.

4 comentários:

  1. Parabéns pelo post e pelas fotos!! estão muito boas.

    http://pequenasgrandes-viagens.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado, a sério! Também passei pelo teu blog e encontrei umas coisas engraçadas. Continuação de bom trabalho.

      Eliminar
  2. Estive mesmo para ir, mas com a certas confirmações dadas nessa altura, bem que tirei o cavalinho da chuva. A vida é triste quando não se é rico.
    Adorei o blog <3

    oh-my-lover.blogspot.pt

    ResponderEliminar